Estamos todos conectados! É o Saara que fertiliza a floresta Amazônica. - Adilson Barroso Ambientalista

Inscreva-se no meu canal!

Estamos todos conectados! É o Saara que fertiliza a floresta Amazônica.



Venha conversar comigo!

“A areia rica em fósforo viaja quase 5 mil quilômetros do norte da África até a América do Sul”

Quem poderia imaginar, mas acredite, os cientistas da Nasa concluíram após análise de um intenso estudo detalhado, que é a areia do deserto do Saara, no norte da África, o fenômeno responsável pela fertilização da floresta amazônica. Essa areia do deserto que é rica em fósforo, viaja pelo Oceano Atlântico levando um dos principais ingredientes para o crescimento das plantas. Esse elemento que é raro na região amazônica é abundante no deserto do Saara.

Uma das explicações mais aceitáveis refere-se ao fato do deserto africano ter sido um lago com muitas algas e micro-organismos, no período da pré-história, que ao ter secado – há cerca de 7 mil anos – manteve na areia do leito do lago uma riqueza em nutrientes. Essa região fica numa depressão do Chade, que em razão da sua geografia, fica propenso a constantes e gigantescas tempestades de areia. O vento que sempre é forte consegue levantar e carregar essa areia, que é rica em fósforo, por um percurso de quase 5 mil quilômetros até a América do Sul, precisamente na direção da Floresta Amazônica.

Outro fenômeno natural se dá no momento em que esse material chega na floresta. É a água da chuva e dos rios que complementa o trabalho espalhando o fósforo da matéria orgânica em decomposição no solo amazônico. Veja que o outro lado do continente é que alimenta uma das maiores florestas do mundo, levando vida para a flora e a fauna. Essa é uma conclusão de que no mundo estamos todos conectados, dependendo um do outro, razão pela qual temos que repensar os conceitos e aprender com as lições da natureza.

O estudo da Nasa foi realizado pelo Goddard Space Flight Center, encomendado pela Nasa, que segundo os registros dos satélites 27 milhões de toneladas de areia viajam do Saara para a Amazônia a cada ano, com cerca de 22 mil toneladas de fósforo. Os pesquisadores usaram um instrumento óptico para medir com pulsos de luz a formação química das substâncias na atmosfera da região. Agora, o próximo passo da é entender ha quanto tempo esse processo vem acontencendo, bem como prever por quanto tempo ainda o Saara poderá fertilizar a Amazônia.

"Este é um blog de notícias que contém alguns tratamentos caseiros. Elas não substituem um especialista. Consulte sempre seu médico."

Gostou desse vídeo? Então inscreva-se em meu canal!

Curta nossa página!

Mais Visualizadas